Greve de caminhoneiros poderá ocorrer no dia 7 de setembro

Greve de caminhoneiros poderá ocorrer no dia 7 de setembro

Mesmo após os caminhoneiros demonstrarem sua extrema eficiência e praticidade no setor do transporte em meio a crise pandêmica que vivemos, problemas envolvendo os direitos do motorista continuam sendo motivos de insatisfação no setor, resultado em greve pelos direitos dos caminhoneiros.

Caminhoneiros ameaçaram com paralisação a partir do dia 7 de setembro -

Em 2018 o país foi paralisado pela greve dos caminhoneiros que teve impacto direto na economia. Nesta greve foi demonstrada a grande insatisfação dos motoristas que estavam sendo diretamente afetados pelo alto preço do combustível no país. Ainda permanece viva na memória dos brasileiros os milhares de caminhões enfileirados nas rodovias de diversos estados do país durante a paralisação. Por esse motivo existe uma grande preocupação com a possibilidade de uma nova greve de caminhoneiros, essa ideia de paralisação no dia 7 de setembro está ganhando força com as demandas de diversos manifestantes da categoria, devido a isso alguns líderes do movimento dos caminhoneiros decidiram se posicionar.

Vale lembrar também, que existem diversas categorias que representam os caminhoneiros em todo o país, por isso não há unanimidade neste posicionamento, por esse motivo, mesmo havendo sinais de uma possível paralisação, especialmente no feriado de 7 de setembro, não existe a intenção de deflagrar uma greve.

Greve dos caminhoneiros no feriado da Independência

Neste feriado da Independência haverá protestos dos brasileiros, onde terá “diversas pautas” a serem discutidas, aponta líderes do movimento dos caminhoneiros, estas pautas têm na sua maioria motivos políticos e de economia. Alguns líderes dos caminhoneiros acreditam que essas manifestações podem gerar força ao movimento da categoria, apontando diretamente as demandas dos caminhoneiros, com o intuito de não misturar as coisas.Caminhoneiros fazem paralisação no Paraná; adesão de Apucarana ainda é  incerta - TNOnline

Líder da categoria na região de Itajaí (SC), Patrola, foi um que se posicionou em relação à essa “divisão de pautas”: “Enquanto cidadãos nós apoiamos o movimento (em 7 de setembro), mas não apoiamos a paralisação de caminhoneiros, até por entender que não há necessidade (de greve) para reivindicar essa pauta (o impeachment dos ministros do STF, o voto impresso e a liberdade de expressão)”.

Processos jurídicos envolvendo a greve dos caminhoneiros estão sendo retificadas

Patrola também afirma que não é da noite para o dia que se inicia uma greve, é preciso haver assembleias e retificação de atas das mesmas, apenas assim, tendo essa segurança jurídica, evitariam multas e outros problemas jurídicos devido à algum evento irregular.Como o governo do PT prejudicou os caminhoneiros | Cointimes

Como dito anteriormente, algumas categorias de caminhoneiros confirmam a participação nessas manifestações no feriado de 7 de setembro, porém sem sinalização de uma greve ou que darão continuidade às paralisações após esse dia.

blogdotransporte

blogdotransporte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.